SNOEZELEN (EXPERIMENTAR E RELAXAR)

Snoezelen é um neologismo de origem neerlandesa resultante da contracção de dois verbos : Snuffelen e Doezelen

Snuffelen (experimentar) – significa experimentar, explorar. Este estado exige uma abertura aos objectos, aos outros. Isto sugere igualmente movimentos corporais intencionais ou vontade de descoberta. Isto dá às pessoas os meios de sentir, de ressentir através de todos os sentidos, tanto dos reflexos exteroceptivos da visão, do gosto, do toque, do olfacto, da audição, como dos reflexos interoceptivos dos músculos, dos ossos, dos tendões, das vísceras, das vibrações. Esta dimensão exploratória só é possível, só é vivida plenamente depois de se ter alcançado o estado de segurança e de doçura que é o «doezelen» (relaxamento).

Doezelen (relaxar) – induz um estado de bem-estar, de doçura e até mesmo de sonolência. Quando colocamos as pessoas em condições de bem-estar, de descontracção, de segurança, elas estão muito mais propícias a uma abertura sensorial e racional. Não será nunca em estado de stress, de angústia, de sofrimento que terão abertura. As pessoas estarão, assim, muito preocupadas em se defenderem em relação às agressões exteriores e fechar-se-ão como as ostras.

Quando se cria um estado de exploração (“snoezelen”), é importante que os dois factores dinâmicos estejam presentes para que as pessoas possam ter oscilações entre eles, com vista a encontrar a sua segurança.

De uma maneira geral, dizemos que o estado de exploração (“Snoezelen”) propõe à pessoa um momento único, de repouso, de conforto e de segurança, permitindo-lhe obter, de acordo com o seu próprio ritmo, experiências em diversos estímulos sensoriais, por vezes, muito simples. O comportamento “snoezelen” é, muitas vezes, mas não necessariamente, organizado num local especialmente arranjado, num ambiente calmo e caloroso onde podem acontecer variados estímulos sensoriais.

O “snoezelen” é uma proposta de experiências sensoriais variadas, vividas numa atmosfera de confiança e de descanso, favorecendo o estímulo dos sentidos primários.

É um local de convivência, de respeito mútuo, de escuta. É também um local onde não se pode fazer nada! O terapeuta pode estar lá para acalmar o paciente apenas com a sua presença.

Quando o bem-estar da pessoa está assegurado é possível voltar a ter a descoberta do ambiente directo.

Nós vamos encorajar a pessoa a

  • reagir aos estímulos sensoriais (tácteis, olfactivos, visuais, auditivos, estáticos, proprioceptivos). Cada sentido é trabalhado separadamente;
  • comunicar de forma verbal ou não verbal;
  • praticar os movimentos em diferentes posições;
  • estimular os jogos motores.

Quem vem para a sala de “snoezelen”?
As pessoas que saem de coma, pacientes com traumatismos cranianos, hemiplégicos, anóxicos.
Nesta sala, o trabalho está ligado à pessoa e não a uma patologia.
O tratamento na área do “snoezelen” faz-se sob prescrição médica, da mesma maneira que numa outra sessão de reabilitação.
A terapia efectua-se individualmente com a pessoa. Esta é dirigida, quer por um ergoterapeuta, um psicomotricionista, um ortofonista ou um neuropsicólogo, segundo os objectivos terapêuticos prescritos pelo médico.