O dia 15 de Março de 1978 representa a data de início de funcionamento do Serviço de Reeducação e de Reabilitação Funcionais (Service de Rééducation et de Réadaptation Fonctionnelles) do Luxemburgo/Hamm. Isto foi possível graças à iniciativa e à ajuda da Associação de Seguros de Acidentes (Association d'Assurance contre les Accidents), dos Hospitais Civis do Luxemburgo (Hospices Civils de la Ville de Luxembourg), da Caixa Regional de Seguro de Doença do Nordeste de França (Caisse Régionale d'Assurance Maladie du Nord-Est de la France) e do Instituto Regional de Reabilitação de Nancy (Institut Régional de Réadaptation de Nancy), com vista a criarem um "Sistema de reabilitação funcional e profissional".

O serviço de reeducação, que inicialmente estava limitado apenas a acidentes de trabalho, expandiu-se ao fim de 18 meses de funcionamento a todas as pessoas que necessitassem da ajuda da medicina de reeducação, graças a uma convenção ligada à Union des Caisses de Maladie (UCM).

Instalada no Lar da Terceira Idade e de Geriatria (Maison de Retraite et de Gériatrie) em Hamm, a primeira unidade de hospitalização foi aberta em 1981, com 12 camas disponíveis.

De 1990 a 1996, a capacidade de hospitalização subiu progressivamente para 42 camas.

A 1 de Janeiro de 1992 já só existia um acordo contratual que ligava a UCM aos Hospitais Civis do Luxemburgo (Hospices Civils de la Ville de Luxembourg); a Associação de Seguros de Acidentes (Association d'Assurance contre les Accidents), estando representada pela União das Caixas de Doença (Union des Caisses de Maladie), o Instituto Regional de Reabilitação de Nancy (Institut Régional de Réadaptation de Nancy) e a Caixa Regional de Seguro de Doença do Nordeste de França (Caisse Régionale d'Assurance Maladie du Nord-Est de la France) cessaram as suas funções com o fim do contrato.

A 15 de Marco de 1996, o Conselho Nacional do Governo determinou a construção do Centro Nacional de Reeducação Funcional e de Reabilitação (CNRFR) em Dudelange, num local chamado "Frankelach".

Sob iniciativa do Ministério da Saúde, a 4 de Junho de 1996, foi criado o Rehazenter a.s.b.l., tendo como funções a criação do Centro de Reeducação Funcional e de Reabilitação e assegurar o seu funcionamento.

A seguir às eleições legislativas de 13 de Junho de 1999, um acordo de coligação governamental conduziu ao decreto de um moratória de um ano para o desenvolvimento do plano hospitalar. O projecto do Centro Nacional de Reeducação Funcional e de Reabilitação foi, portanto, sujeito a esta moratória.

No âmbito da moratória mencionada, o projecto do Centro Nacional de Reeducação Funcional e de Reabilitação foi objecto de várias adaptações em 2000, nomeadamente no que diz respeito ao local de implantação.

A 22 de Dezembro de 2000, o Conselho Nacional do Governo confirmou a sua decisão de construir o futuro centro no Luxemburgo/Kirchberg.

O plano hospitalar de 18 de Abril de 2001 confirma a decisão de que o Centro de Reeducação de Hamm deveria assumir a função de um Centro Nacional de Reeducação Funcional e de Reabilitação.

A 1 de Janeiro de 2003, sucede a tomada de posse do Centro de Reeducação de Hamm, gerido pelos Hospitais Civis do Luxemburgo (Hospices Civils de la Ville de Luxembourg), pelo Rehazenter a.s.b.l., responsável pela gestão do Centro Nacional de Reeducação Funcional e de Reabilitação.

No decorrer do segundo semestre de 2003, a capacidade de hospitalização do Rehazenter em Hamm aumentou progressivamente para 52 camas. O número de pacientes em ambulatório subiu para cerca de 250 pacientes/dia.

A 1 de Janeiro de 2004, a mudança de estatutos do Centro, a seguir ao voto da lei de 19 de Dezembro de 2003, determinou a criação do estabelecimento público «Centre National de Rééducation Fonctionnelle et de Réadaptation» («Centro Nacional de Reeducação Funcional e de Reabilitação»).

A 23 de Abril de 2004, foi colocada a primeira pedra do novo Rehazenter no Luxemburgo/Kirchberg.

Festa dos Ramos do novo Rehazenter a 30 de Janeiro de 2006.

Inauguração oficial do novo Rehazenter Luxembourg a 2 de Fevereiro.

Dias Abertos ao grande público a 3 e 4 de Fevereiro de 2007.

Transferência dos pacientes e de toda a actividade de Hamm para o novo espaço no Kirchberg a 19 de Fevereiro de 2007. O novo hospital dispõe de 72 camas e recebe em média cerca de 500 pacientes em ambulatório por semana.